Startup desenvolve projeto de molde para máscaras descartáveis

Quando se pensa em coronavírus, a primeira imagem que vem à mente é a de uma máscara.

Ela tem sido o símbolo do enfrentamento à pandemia mundial e, por conta da alta procura, diversas versões vêm sendo criadas para proteger nariz e boca, evitando, assim, a transmissão do vírus.

Com o crescimento do número de infectados no Brasil, empresas estão se mobilizando para deter a doença ao disponibilizar produtos, serviços e até tecnologia a favor da população.

A startup Molde.me, em parceria com a UEL (Universidade Estadual de Londrina), ela desenvolveu um projeto de máscara descartável fabricada com tecido SMS.

Segundo a startup, acelerada pela Spin, o material é 99% bactericida e serve para embalar itens cirúrgicos, impedindo que se contaminem.

Os hospitais não utilizam o artigo, mas, o SMS pode ser usado para fabricar máscaras descartáveis com a mesma eficiência de uma máscara descartável comum.

A startup também convida qualquer pessoa ou empresa que tem projetos para ajudar no combate ao coronavírus a entrar em contato, buscando soluções em conjunto para enfrentar o atual momento.

“Estamos disponibilizando nossas ferramentas, equipe e parceiros para criar modelos de proteção contra o vírus e melhor aproveitamento dos materiais disponíveis no mercado”, afirmou a CEO, Tyara Nascimento.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais