Porto de Itajaí cresce 12% no primeiro semestre

Com crescimento de 12% na movimentação de TEUs10% na tonelagem, o Porto de Itajaí (berços públicos e APM Terminals), encerra o primeiro semestre mantendo números positivos, apesar dos reflexos da pandemia do coronavírus.

De janeiro e junho, o porto movimentou 258.476 TEUs (unidade de medida equivalente a um contêiner de 20 pés) e 2.859.865 toneladas, contra 230.369 TEUs e 2.666.043 toneladas no mesmo período do ano anterior.

Ainda com base para a movimentação de contêineres no período do primeiro semestre quando foram movimentados 258.476 TEUs, contra 98 mil TEUS no mesmo período em 2016, destacando-se no período de três anos e meio (2016/2020), obteve um crescimento acentuado de 380% no porto público operado pela APM Terminals.

Os números também foram positivos para o complexo portuário de Itajaí e Navegantes.

No primeiro semestre o Porto de Itajaí e os Terminais de Uso Privado (TUPs) registraram movimentação de 650.724 TEUs 7.124.639 toneladas.

No comparativo ao primeiro semestre do ano passado, em que o complexo movimentou 598.110 TEUs e 6.658.309 toneladas, a movimentação representa crescimento de 9% em relação aos TEUs 7% na tonelagem.

Portonave (Terminal Portuário de Navegantes), registrou no primeiro semestre a movimentação de 392.248 TEUs 4.196.899 toneladas, com crescimento de 7% em cada um dos índices.

No mesmo período do ano anterior o terminal movimentou 367.741 TEUs e 3.926.009 toneladas.

“Podemos ainda destacar nesse primeiro semestre, no Complexo, o crescimento de 9% na movimentação da carga de Cabotagem, em que registramos 60.624 TEUs e 511.795 toneladas. Essa movimentação é interessante porque são cargas que deixaram de ser transportadas pelas estradas e passaram para o modal marítimo”, enfatiza Heder Cassiano Moritz, diretor geral de Operações Logísticas da Superintendência do Porto de Itajaí.

Para ele, o principal destaque desse período foi a operacionalização da nova Bacia de Evolução:

“Com a Bacia 02 nós tivemos as operações dos navios acima de 306 metros, que nos ajudou a alcançar esses índices de crescimento. Também é importante ressaltar, nesse aspecto de infraestrutura, a questão da dragagem de manutenção que tem nos dados um ganho operacional e nos permitiu registrar o maior calado de saída de um navio, com 13,2 metros”.

Os ganhos operacionais podem ser observados pela movimentação média por escala, que segundo o diretor, no Porto de Itajaí, obteve um aumento de 10% em relação ao ano passado:

“Hoje nós movimentamos em média 13.240 toneladas por escala, o ano passado movimentávamos 11.739 toneladas por escala. Isso representa um ganho para o armador e torna o nosso porto mais atrativo”.

A saída do navio BARBARA, no dia 24, operado pela APM Terminals (empresa arrendatária do Porto de Itajaí), com 13,2 metros de calado não foi a única marca histórica alcançada nesse período.

Marcelo Werner Salles, engenheiro e superintendente do Porto de Itajaí, destaca mais duas conquistas para o Complexo Portuário de Itajaí e Navegantes.

A chegada, no dia 16, do maior navio de contêiner a operar na costa brasileira, o APL PARIS, com 347 metros de comprimento e 45,20 metros de largura, e a maior quantidade de TEUs movimentados em uma única embarcação na história do Complexo, foram mais de 6.000 TEUs, entre embarques e descargas, no navio MSC SHUBA B no dia 24.

SEGUNDO SEMESTRE

Para o segundo semestre a expectativa é que a movimentação continue em crescimento.

“Historicamente o segundo semestre é sempre melhor em movimentação, então esperamos um bom desempenho para os próximos meses. Eu acredito que nós tenhamos uma recuperação das importações, mas também a manutenção do crescimento das exportações, principalmente relacionado as questões cambiais”, finaliza Heder.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais