Responsável pela operação da Audaces na Europa dá 3 dicas para internacionalizar negócios

A Câmara Italiana de Comércio e Indústria de Santa Catarina (CCIESC) está promovendo uma série de eventos para apresentar a empresários o potencial e as oportunidades do mercado europeu.

Na semana passada a entidade teve um webinar com Magner Steffens, responsável pelas operações da Audaces na Europa. 

Fornecedora de tecnologia para o setor têxtil, a empresa atua há mais de 30 anos no mercado brasileiro e chegou ao continente europeu em 2017.

Ele falou da experiência de atuar na expansão dos negócios para outros países e deu dicas para gestores e empresários que pensam na internacionalização de seus negócios: 

AVALIE OPORTUNIDADES E CENÁRIOS

A Audaces cresceu a partir da identificação de uma oportunidade de mercado. Na época da criação da empresa, os softwares disponíveis para apoiar a criação de moldes de peças de roupas eram estrangeiros e pouco acessíveis. A empresa optou então por democratizar o acesso à ferramenta, com o desenvolvimento de um software em português. Também ajudou a preparar pessoas para a mudança tecnológica em andamento e firmou parcerias com cursos na área de moda que passaram a utilizar sistemas computadorizados já na formação de futuros profissionais. A identificação de oportunidades também foi decisiva no momento da internacionalização. Os primeiros passos no exterior foram dados nos vizinhos da América do Sul, onde também havia menor presença de concorrentes. Em 2014, quando começaram os planos de ingressar na Europa, avaliaram a Alemanha, Portugal, Suíça e Turquia antes da opção pela Itália. Para a decisão final pesaram questões como o custo do recurso para investimentos, a burocracia e, principalmente, a identificação de um diferencial do país. O selo Made in Italy é um diferencial importante para o segmento da moda. A identificação do país com design, elegância e alta costura gerou oportunidades para a aproximação com novos clientes, principalmente na Ásia, onde hoje a Audaces vende para países como Vietnã e Paquistão. 

BUSQUE PARCEIROS E APOIO

É muito importante que empresários participarem de eventos, feiras, missões empresariais ou outras iniciativas que possibilitem o conhecimento do mercado e do país onde pretendem se instalar antes de iniciar a internacionalização. Nessa sondagem inicial também é importante identificar instituições, como as próprias câmaras de comércio, que possam apoiar o empresário. Além do network e de dados sobre o mercado e oportunidades, essas entidades podem auxiliar em questões práticas e ajudar o empresário a evitar muita dor de cabeça e perda de tempo e dinheiro. Na Itália, a Audaces teve auxílio de entidades locais até para resolver questões aparentemente simples como a identificação dos melhores parceiros para serviços como contabilidade e assessoria jurídica. 

APOSTE NO PLANEJAMENTO

A Audaces começou a avaliar a possibilidade de uma unidade européia em 2014 e chegou ao continente em 2017. Durante os três anos, a empresa analisou o mercado e planejou a operação. A Itália foi identificada como um hub para o atendimento a três continentes: Europa, África e Ásia. Depois de cinco anos, a unidade já é sustentável e responde por aproximadamente um quinto do faturamento da empresa. Mas a estratégia de crescimento é de médio prazo. Assim como fez no Brasil, a Audaces Europe é parceira de cursos na área de moda nos outros continentes e ajuda a formar profissionais para o setor. Também atua para sedimentar entre os clientes a percepção do Brasil como um desenvolvedor de tecnologia e inovação.Nós conhecemos o potencial e a qualidade das empresas de tecnologia do país, e em especial de Santa Catarina. Mas em muitos lugares ainda precisamos fazer um esforço extra para sermos reconhecidos como referência. Isso exige tempo, mas felizmente temos percebido que o esforço dá resultados.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais