Gabriela Prioli fala sobre clube do livro, importância de celebrar conquistas e o que esperar da sua palestra no Startup Summit

Advogada, apresentadora da CNN Brasil, comunicadora digital, autora e empresária. Gabriela Prioli é a quinta entrevistada da série especial de um dos maiores eventos de inovação, tecnologia e empreendedorismo do Brasil, o Startup Summit, que acontece nos dias 4 e 5 de agosto, em Florianópolis.

Confira a entrevista exclusiva  ao Economia SC:

Para você, qual a importância do Startup Summit?

Gabriela: Acho que a troca que o evento proporciona é muito importante, pois vai reunir mais de 90 palestrantes, quase 5 mil participantes, então conhecimento e networking não vão faltar.

Quais os principais desafios de ser uma personalidade pública múltipla? E qual o lado positivo de poder dar voz pública a todas as suas facetas profissionais?

Gabriela: O desafio é dar conta de tudo com qualidade, mas vale muito a pena mostrar que a multiplicidade é o caminho num mundo em constante transformação e que exige de nós agilidade na adaptação. Encorajar as pessoas a explorarem todas as suas facetas é maravilhoso. 

Como está o desenvolvimento do segundo livro? Já tem data para lançamento?

Gabriela: Antes do livro, sai o curso novo. O conteúdo já tá todo pronto, agora estamos lapidando a forma. O curso deve sair entre o final de julho e meio de agosto. O livro ainda não tem data certa de lançamento, mas queremos lançar antes das eleições. 

Nessa mesma temática, como surgiu a ideia para seu Clube do Livro, hoje ao lado de Leandro Karnal? Quais as metas do projeto?

Gabriela: O nascimento do Clube do Livro foi uma coisa muito natural. Desde que eu apareci para o grande público, muita gente me pergunta sobre como eu sei o que eu sei e como eu tenho tanta segurança ao falar. A minha resposta sempre foi a mesma: os livros. Só estudando a gente consegue construir uma base sólida para se posicionar sobre os mais variados assuntos. Mas mesmo assim eu percebia que muitos seguidores ainda ficavam meio perdidos “Por onde começar? Qual livro ler? E se eu não entender?”. E foi aí que nasceu o Clube do Livro. Mas o mais legal é que depois que o clube ganhou vida, ele se tornou muito maior do que era na minha cabeça. Hoje em dia, a comunidade de alunos formada no Clube é incrível, porque além da minha visão e do Karnal sobre determinado tema, você tem quase 10 mil colegas, só nessa terceira turma, debatendo quase diariamente assuntos complexos, baseados em conteúdos dos maiores pensadores do mundo. É um ambiente muito rico, com cabeças pensantes debatendo com civilidade e profundidade.

No seu programa, você mostra que o entretenimento pode aprofundar questões sociais, como preconceitos, racismo e política. Qual seu propósito nesse meio? 

Gabriela: É mostrar que a gente pode discutir temas profundos com uma leveza que aproxima. Se a proposta for que discussões relevantes precisam necessariamente ser travadas com dureza, a gente perde alguns interlocutores. Trabalhar a forma é estratégia para trazer mais gente pras discussões que eu considero fundamentais. Temos pressa por mudança, e pra termos velocidade e força, precisamos reunir muita gente. 

Se você voltasse no tempo e alguém dissesse que você seria advogada, influenciadora, apresentadora e tantas outras coisas que você bem quiser ser, que conselhos daria para a Gabriela percorrer uma jornada melhor?

Gabriela: Eu diria pra ela ter mais calma (risos) mas eu diria o mesmo pra Gabriela de hoje, sem nem precisar voltar no tempo. E diria que é legítimo celebrar conquistas. Que esse tempo de celebração alimenta o ímpeto de ir mais longe, ajuda na trajetória. É o que eu diria pra mim e pra todo mundo. Celebrar cada passo é fundamental pra continuar caminhando, mas com frequência a gente esquece disso. Diria também que essas pausas são importantes porque é trabalho pra caramba, embora existe quem ache que a vida na internet é só curtição.

Quais são os livros mais marcantes da sua carreira que você pode deixar de dica para os leitores?

Gabriela: A carreira faz parte da vida, então vou listar livros da minha vida e colocarei aqui os que vem na minha cabeça (eu não gosto de listar por importância porque sinceramente não consigo atribuir valor a eles sem me achar injusta com muitos).

  • O Livro do Desassossego, Fernando Pessoa
  • Religião e Repressão, Rubem Alves
  • Ressurreição, Tolstoi
  • A mente moralista, Johnatan Haidt
  • Política é pra todos (que, por ser o meu primeiro, é o mais marcante da minha vida)
  • Outliers, do Malcom Gladwell
  • Rápido e Devagar, Daniel Kahneman

Acompanhe os principais conteúdos sobre o Startup Summit aqui.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais