Pesquisadores do IFSC e startup unem forças e criam totem inteligente de lixo eletrônico

A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII) apoiou o desenvolvimento de uma tecnologia arrojada, que traz mais eficiência e segurança ao serviço de coleta de lixo eletrônico no país: um ponto de entrega voluntária inteligente.

A máquina, desenvolvida pelos pesquisadores da unidade EMBRAPII no Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) em parceria com a startup Weee.do, permite o monitoramento remoto da quantidade de resíduos eletrônicos coletada, por ser capaz de medir o peso e o volume dos materiais descartados. 

Atualmente, existe um protótipo em fase de testes, para que possa ser replicável em escala comercial no futuro, com a expectativa de atender à crescente demanda de logística reversa do país.

A solução, chamada de Smart Pev.do, contribui para que as empresas se adequem à Política Nacional de Resíduos Sólidos, criada em 2010, e que integra o poder público, iniciativa privada e sociedade civil, estabelecendo diretrizes sobre o que fazer com os resíduos sólidos e os rejeitos.

COMO SURGIU

A ideia do surgiu a partir de uma demanda da própria Weee.do, que já atuava no mercado de reciclagem em Santa Catarina com a oferta de PEVs tradicionais.

No passado, a equipe tinha muita dificuldade em planejar a coleta, já que não era possível saber previamente quais pontos estavam cheios, o que tornava o processo mais demorado e custoso, como explica Mark Jacobowitz, diretor-executivo da startup:

“Foi a partir disso que surgiu a ideia de criar um PEV inteligente. O software desenvolvido para o projeto está conectado à nuvem e rastreia as informações dos descartes, o que facilita o acompanhamento da capacidade de “armazenagem” disponível nos pontos de coleta”. 

Um dos diferenciais do equipamento é ter um sistema de pesagem que permite identificar o momento em que for atingida sua capacidade máxima de armazenagem.

“Assim, a Weee.do vai poder decidir se manda um caminhão, um carro ou uma caminhonete, ou um ou dois funcionários”, explicou o pesquisador da Unidade EMBRAPII, Valdir Noll, que coordenou a pesquisa.

No totem de coleta inteligente, que possui um painel interativo programado para facilitar o processo de doação, é possível descartar desde pilhas, cabos e fios em geral, peças de computadores e celulares, até um televisor de 40 polegadas, por exemplo. 

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais