Como lido com a concorrência?

Um dos livros necessários para quem quer empreender é A Estratégia do Oceano Azul, escrito por W. Chain Kim e Renée Mauborgne. A obra “mostra o sentido do paradoxo estratégico que muitas organizações enfrentam: quanto mais se preocupam em se equiparar aos concorrentes e lutam para igualar ou vencer sua vantagem, ironicamente, mais tendem a se parecer com eles. A resposta da estratégia do oceano azul seria: pare de olhar para a concorrência. Inove em valor e deixe que os concorrentes se preocupem com você”.

Um dos principais insights do livro e que eu levo para o meu dia a dia é: “a única maneira de superar os concorrentes é não mais tentar superar os concorrentes”.

Isso não quer dizer que eu não acompanho quem eu considero concorrente. Afinal, eu seria totalmente burra estrategicamente falando. Agora tentar superar, longe de mim!

Lógico: quando eu comecei meu negócio, olhei para as principais referências de jornalismo de economia e negócios, olhei para o que estava sendo produzido no Brasil e em Santa Catarina e tentei me diferenciar em alguns pontos.

E a resposta sobre como eu lido com a concorrência é que eu tô de boa!

Gente, eu completo 3 anos empreendendo no mercado em novembro. Acho que o que acontece com a palavra concorrência é muito forte, pois cada negócio tem suas peculiaridades.

Toda vez que eu falo sobre concorrentes, geralmente faço o gesto de entre aspas. Porque são e não são. O Economia SC, nesses quase 3 anos, têm conquistado muitas coisas, assim como os “concorrentes” têm conquistado outras coisas que por aqui nem passou perto. 

Ganhei o Prêmio Gustav Salinger de Empreendedorismo como Jovem Empreendedora em Blumenau, fui listada entre as 10 principais profissionais de imprensa pelo Startup Awards, somos o veículo de comunicação mais seguido de SC no Linkedin, fomos convidados para ser media partner do Startup Summit, Expogestão e Febratex, eventos referências em seus respectivos setores. Para mim, essas conquistas são importantíssimas em tão pouco tempo de jornada. 

Agora no meu dia a dia, para não ficar para trás eu:

  • Tiro alguns momentos da minha semana para fazer uma leitura mais dinâmica dos concorrentes (o que estão fazendo diferente, formatos de entrevistas, formatos de mídias, quem estão entrevistando, entre outros pontos)
  • Assino algumas newsletters e recebo diariamente em meu e-mail os principais assuntos abordados no dia anterior ou que são destaques do dia de cada veículo de comunicação (aqui geralmente dedico meu tempo entre 7h e 7h30).
  • Tento entender as estratégias que cada um usa a partir de lançamento de projetos
  • E por último, chega muita coisa por bastidor, o famoso off (risos). 

Fato é que eu nunca fui bater de frente com algum veículo de comunicação específico. Primeiro porque não precisamos disso. É justamente ao contrário.

Um exemplo que eu dou foi uma conversa recente que tive com o Fabrício, fundador do SC Inova, no qual propus uma parceria de projeto para que possamos fortalecer o jornalismo especializado de SC, principalmente para mostrar a força do que é feito aqui para os empresários e empresárias de todo o Brasil. Muito em breve devemos anunciar alguma cooperação nesse sentido. Inclusive, o SC Inova, que nasceu digital focando nas editorias de inovação e negócios, lançou durante o Startup Summit uma revista impressa, em comemoração aos seus 5 anos no ar. Óbvio, peguei um exemplar para poder estudar o que foi feito e entender essa estratégia.

Estão percebendo? Assim como eu conquisto um monte de coisa nesse meio tempo e tem pessoas que torcem e comemoram comigo, eu também fico feliz quando vejo algum “concorrente” conquistando algo. É muito mais benéfico para o mercado como um todo. E é isso gente, tem espaço para todo mundo. Essa coisa de concorrência, com essa herança da palavra que remete a algo ruim, pode virar uma parceria tão estratégica a ponto de fortalecer ambos negócios. 

A estratégia do oceano azul busca dar luz ao valor que negócios estão criando, a partir da quebra da corrente de água onde todos estão nadando na mesma direção. Quem quer entrar no oceano azul precisa recalcular a rota e seguir num mar de possibilidades onde o resto não está enxergando. Spoiler: o Economia SC terá até o final do ano duas novidades (ainda está sendo desenhado, o ano foi corrido). 

Como disse lá em cima, dá para estar no oceano azul, pois cada negócio tem suas peculiaridades. 

E você, está se preocupando com os concorrentes ou o contrário? O que está fazendo para se diferenciar e gerar valor? Como promove a cooperação em prol de uma evolução ainda maior no mercado em que atua?

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais