Como o uso do pronome neutro em inglês já é uma realidade no ambiente corporativo

De acordo com uma pesquisa feita pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) com 3 milhões de entrevistados em empresas de toda a América Latina, o número de pessoas que se identificam como não binárias já chega a 1,19%. Ou seja, cerca de 35 mil pessoas fazem parte deste grupo e este número deve aumentar cada vez mais, uma vez que diversas organizações possuem políticas de diversidade e inclusão cada vez mais presentes e atualizadas. 

Gabriela Iglesias, Sales Manager da Slang no Brasil, programa líder em soluções de aprendizagem de inglês especializado em conteúdos profissionais e técnicos, destaca que a necessidade do pronome neutro surgiu do processo de inclusão cada vez mais engajado, iniciando-se em algo comum a todos: a comunicação. 

“Ele recebe esse nome porque a intenção é não indicar nenhum gênero específico. Por isso pode ser usado para se referir a qualquer pessoa, mesmo quando não se tem conhecimento sobre o gênero dela”, explica.

Para pessoas que não se sentem representadas pela categorização binária de masculino/feminino, construir uma consciência à sua volta quanto à inclusão linguística é um avanço bastante significativo. Para isso, é possível fazer adaptações na linguagem, independentemente da língua em questão. 

No Economia SC Drops, ela separou algumas dicas para ajudar empresas a  incluírem o pronome neutro no vocabulário da sua empresa:

Como utilizar o pronome singular neutro “they” no inglês? 

Gabriela: Originalmente, o termo “they” referia-se apenas ao pronome plural “eles/elas”. No entanto, com o crescimento da discussão sobre inclusão linguística, ele passou a se popularizar como um pronome singular e neutro, sendo considerado, em 2019, a palavra do ano pela editora Merriam-Webster, que faz essa escolha com base em pesquisas. Apesar de casos contrários, o “they” usado como pronome singular para referir-se a pessoas não-binárias está ganhando espaço em muitas áreas, inclusive na acadêmica. Por não fazer parte do ensino clássico do inglês, você pode até pensar que essa é uma regra gramatical complicada, porém, na verdade, ela é bem simples. Quando tratamos o “they” como singular, seus pronomes derivados também entram na regra, sendo que “their”, “themselves” e “theirs” devem ser utilizados nesses casos. Entretanto, o verbo que o acompanha permanece no plural, mesmo que o pronome tenha o significado no singular, como por exemplo:  They are my friend. (ele/ela/elu é meu amigo) e I’m going to their house. (Eu estou indo à casa dele/dela/delu), onde “friend” se mantém no singular, deixando claro que o pronome se refere apenas a uma pessoa. Além do uso pronominal singular, também é possível recorrer aos pronomes indefinidos para substituir adjetivações ou substantivos sem indicar um gênero ao termo. São eles: Each (cada um/cada uma), every (todos/todas/todes), any (qualquer/algum(a)/alguns(mas)/nenhum(a)), Nobody, No one (ninguém), Whoever (quem quer que seja), como por exemplo: Each person received a present (Cada pessoa recebeu um presente), ou There isn’t anybody in this place (Não há ninguém neste lugar), entre outros.

Que outros termos neutros são usados no dia a dia?

Gabriela: Apesar do “they” ser o pronome neutro mais popular, outras formas de diferenciação na língua podem ser usadas no inglês. Quando for se referir a alguém sem gênero identificado, por exemplo, ao invés de “Mr”, “Ms”, “Mrs” ou “Miss”, utilize o “Mx.”. Em voz alta, a pronúncia é parecida com “mix”. Ao falar de algum companheiro ou companheira, irmão ou irmã, crianças, filhos ou filhas, em vez de especificar o gênero, outros termos podem ser utilizados sem alterar o sentido da frase. Neste caso, são usadas palavras sem adaptações gramaticais, essas são algumas dicas: no lugar de “boyfriend” ou “girlfriend”, “husband” ou “wife”, pode-se usar “partner” (parceiro/parceira); para substituir “sister” ou “brother”, pode ser utilizado “sibling” (irmão/irmã).

Qual a importância da inclusão no ambiente profissional?

Gabriela: A linguagem inclusiva pode e deve ser aplicada em todos os ambientes possíveis, tanto no convívio social quanto no profissional. Uma iniciativa de projetos e medidas de inclusão por parte da gestão de pessoas e da liderança pode ser uma ação de fortalecimento para a cultura e diversidade da empresa. Se a sua empresa é uma multinacional, por exemplo, saber utilizar corretamente o “they” como pronome singular neutro é essencial para uma comunicação mais respeitosa entre os membros da corporação. No mundo profissional, em diversas áreas, os títulos de posições também podem ser alterados para permitir a inclusão. Confira alguns exemplos: é possível trocar Fireman por Firefighter (Bombeiro/a/e), Doorman por Doorkeeper (Porteiro/a/e),  Policeman por Police Officer (Policial), Businessman por Businessperson (Empresário/a/e), além de muitos outros. Ter uma plataforma que ajude com o estudo da língua inglesa direcionado para empresas pode ajudar na hora de utilizar esses pronomes no dia a dia corporativo. Um exemplo dessas plataformas é a Slang, plataforma online para aprendizagem de inglês especializada em conteúdos profissionais e técnicos.

Confira outras entrevistas do Economia SC Drops

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais