Quase metade dos pequenos negócios aumentaram vendas no segundo trimestre em SC

Uma pesquisa do Observatório de Negócios do Sebrae/SC, realizada entre 7 e 22 de julho, avaliou o desempenho da atividade econômica do segundo trimestre deste ano e as expectativas dos pequenos negócios para o terceiro trimestre do ano.

As 810 entrevistas foram distribuídas por quotas representativas ao número de MEI, ME e PE, assim como por setor de atividade nas regiões Foz do Itajaí, Grande Florianópolis, Extremo Oeste, Meio Oeste, Oeste, Norte, Serra, Sul e Vale do Itajaí.

Quase a metade, cerca de 47%, dos PNEs catarinenses registraram aumento nas vendas no 2º trimestre em relação ao trimestre anterior.

Com relação ao aumento nas vendas, 49,7% atribuem o aumento das vendas ao aquecimento da economia, 43% ao retorno à normalidade, 31,6% ao aumento da demanda e 21,5% à fidelização da clientela e 8,5% atribuem à sazonalidade, 7,6% aos recursos liberados à população pelo governo e apenas 6,3% às melhorias relacionadas ao produto.

O aumento dos custos continua sendo a principal dificuldade relatada pelos pequenos negócios catarinenses no segundo trimestre, apontada por 53,1% dos empresários, considerando o cenário de instabilidade econômica,alta taxa de juros e o cenário de inflação alta. 

Além do aumento de custos, a redução do poder aquisitivo (30%), a conjuntura econômica desfavorável (27,9%) e a queda nas vendas (10,2%) foram dificuldades  apontadas pelos empresários.

O aumento das vendas teve reflexo mais forte no fluxo de caixa das empresas com relação ao trimestre anterior, indicando que para 50% delas houve lucro. Os que mais registraram lucro no período foram a indústria (46,7%), enquanto setor, e as MEs (42,8%) e as PEs (42,3%).

VENDAS NA INTERNET

O índice de vendas na internet alcançou 70,5%, indicando que o meio digital é essencial para os modelos de negócios de micro e pequeno porte. Dentre os meios digitais mais utilizados, estão o Instagram (76,8%), WhatsApp (72,9%) e Facebook (56,9%), plataformas que oferecem recursos de compartilhamento simultâneos, que facilitam as divulgações e o engajamento das empresas.

As empresas que utilizaram as redes digitais como ferramenta de negócio registraram 19,8% de aumento de vendas a mais que as empresas que não utilizam redes sociais.

EXPECTATIVAS

A expectativa para o terceiro trimestre é otimista. As vendas aumentaram para 47,1% com relação ao trimestre anterior e o esperado para o próximo trimestre é que as vendas aumentem para 68,6%.

A expectativa de aumento com relação às compras 47,3% é maior que a realizada em 34,7%. Este diferencial de expectativa já foi anunciado na medição anterior, que foi de 39,1%.

A expectativa de aumento dos custos é tão alta quanto foi o comportamento desta variável no realizado do trimestre anterior, com 70,5%. A expectativa de produtividade 62,6% é otimista com relação ao realizado 36,2%.

O total de empresas que pretendem realizar investimentos no terceiro trimestre do ano aumentou 7,5%  em relação ao total que investiu no segundo trimestre.

Os investimentos estão concentrados na ampliação de estoque (33%) na aquisição de insumos e aumento da produção (28,1%) e na aquisição de equipamentos e ferramentas (23%).

“Essa pesquisa pode ser vista com otimismo,  já que apenas 10,8% dos empresários de micro e pequenas empresas acreditam que a economia brasileira vai piorar no próximo trimestre. Gradativamente, os empresários vêm recuperando a confiança e aumentando a expectativa de melhora na economia do país, tanto que 48% deles acreditam que a situação econômica do país irá melhorar no 3 º trimestre”, comenta o analista do Observatório de Negócios do Sebrae/SC e responsável pelo estudo, Cláudio Ferreira.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais