Como a economia compartilhada dá acesso a atendimento médico de qualidade

O Brasil tem um abismo grande quando falamos em saúde de qualidade. Basta olharmos para os postos de atendimentos e as condições precárias de atendimento. No entanto, uma nova forma de olhar para esse setor têm surgido no país a partir do conceito de economia compartilhada.

No Economia SC Drops, o médico e líder da Becare, vertical de saúde da Bewiki, Henrique Dagostin, explica o modo de fazer saúde com compartilhamento e como essa prática facilita o  acesso ao atendimento particular. Confira abaixo:

O que é economia compartilhada e como ela pode impactar a saúde no Brasil?

Henrique: A economia compartilhada é uma tendência no mercado ao redor do mundo. Alguns exemplos mais comuns dela são a Netflix, o Waze ou mesmo alguns serviços analógicos, como as antigas locadoras de DVDs. É um sistema em que as pessoas entendem não precisar ter coisas por um longo período, mas usar enquanto for necessário e de forma compartilhada. Na saúde, como é o caso da Bewiki, o serviço compartilhado é gerenciado por nós, mas conta com o apoio dos assinantes. Em contrapartida da assinatura, os clientes recebem um cartão de benefícios que dá acesso à saúde nos espaços físicos ou de teleatendimento. São serviços que vão desde prevenção, com conselhos para alimentação saudável e atividade física, até a solução de problemas com o acompanhamento do médico. 

Como você avalia o cenário de saúde pública e privada no Brasil?

Henrique: Para se ter uma ideia, o serviço público é responsável pelo atendimento de 70,5% da população e apenas cerca de 29,5% dela tem acesso a Planos de Saúde, sejam eles médicos ou odontológicos. Os dados sobre acesso aos serviços públicos e privados foram mapeados ao longo de 2019, na última Pesquisa Nacional de Saúde realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).  Acredito que os preços expressivos dos Planos de Saúde dificultam o acesso aos atendimentos particulares, mas a economia compartilhada se apresenta como opção nesse contexto. 

Quais as vantagens em estar em um sistema compartilhado de saúde?

Henrique: O atendimento nesses locais, por ser particular e pago pelos pacientes, tendem a ser agilizados e personalizados. Os preços também reduzem consideravelmente quando comparados aos Planos de Saúde tradicionais, justamente por ser um espaço compartilhado, em que médicos se colocam à disposição do atendimento e usam os espaços do empreendimento que gerencia. 

E como a tecnologia entra nessa história?

Henrique: Nestes casos, a tecnologia aparece como um facilitador do gerenciamento desses serviços. Tudo pode ser acessado ao alcance das mãos, assim que o aplicativo estiver no celular. Agendamentos, pagamentos da mensalidade ou mesmo a consulta, quando a presença no Hospital não for exigida. Tanto o paciente quanto os responsáveis por ele, como no caso de planos para a família,  podem acessar esses recursos. No caso da Becare, somos um dos braços da Bewiki, proptech que atua entre o digital e o físico para oferecer diversos serviços para facilitar o dia a dia. Então, além de acessar e gerenciar sua saúde através do aplicativo, o usuário terá acesso a diversos serviços que vão desde moradia até alimentação e carros por assinatura. É a tecnologia que permite essa integração.

Por que é importante ter acesso aos serviços particulares de saúde?

Henrique: A garantia do atendimento, com os recursos essenciais para a sua saúde, é um dos fatores principais. Em casos de sobrecarga do sistema público, como aconteceu ao longo da Pandemia da Covid-19, o paciente sabe onde buscar um médico, com serviço personalizado e atendimento rápido. Quando esse serviço é acessível, seja por ter gerenciamento garantido pelo celular ou por causa dos custos reduzidos graças à economia compartilhada, o paciente tende a estar ainda mais seguro. 

Leia outras entrevistas do Economia SC Drops clicando aqui.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais