Como a gamificação ajuda a engajar os colaboradores da sua empresa

Por Hendrik Machado, CEO da Pontomais.

A gamificação é uma ferramenta que tem crescido no mercado como uma forma de incentivar e dar ânimo aos colaboradores.

Esta estratégia consiste no processo de transformar uma tarefa de outro contexto em dinâmica de jogo, adicionando recompensas, pontuação e desafios.

Tudo isso a fim de melhorar o engajamento em sua realização ou mudar o comportamento em relação a determinada atividade a ser executada. Mas por que investir em gamificação?

Em primeiro lugar, a produtividade das equipes aumenta em 90% com a implementação da gamificação, junto com a conscientização das metas do grupo que aumentam em 86%, de acordo com um levantamento da ResearchAndMarkets.com.

Mas antes mesmo de sair implementando uma estratégia de gamificação é preciso avaliar o perfil dos colaboradores.

Por exemplo, os millennials, geração das pessoas nativas digitais, já são mais de 50% dos colaboradores nas empresas.

E diante da familiaridade com o mundo digital, a aplicação de atividades por meio da gamificação pode ser um fator primordial para o engajamento nas atividades internas.

Além disso, é importante reforçar que os brasileiros são um dos mais interessados e engajados em games.

Segundo a Pesquisa Game Brasil deste ano, 74,5% dos brasileiros alegam ter o costume de jogar jogos digitais e 84,4% dizem que jogam para se divertir.

Sendo assim, é vantajoso para sua empresa aplicar a estratégia de gamificação visto que deste modo os colaboradores iriam se divertir com atividades em formato de jogo e assim fazendo com que ele atinja os objetivos com mais facilidade.

Mas além de engajar os colaboradores, a gamificação também tem outras funcionalidades dentro das organizações?

Sim, ela pode ser uma série de outras funções e trabalhar em prol do: aumento de produtividade, foco, determinação, autoavaliação e acompanhamento de desempenho.

Em resumo, a gamificação é versátil e serve para facilitar o empenho dos colaboradores no trabalho, transformando aquelas tarefas que podem ser consideradas difíceis e desagradáveis em algo leve e divertido.

A Ford, por exemplo, estava com dificuldades internas de fazer com que seus colaboradores acessassem o portal de e-learning da empresa.

Sendo assim resolveu aplicar a gamificação para desenvolver jogos que tinham o objetivo educativo de ajudar as equipes de vendas a conhecer melhor os novos modelos de carros, financiamentos, tecnologias, entre outros.

O que se viu depois foi um aumento de 417% no uso dos portais, melhoria nas vendas e uma maior satisfação dos clientes, atingindo todas as pontas de serviços da empresa.

Além deles, a Todeschini, uma das maiores fabricantes de móveis planejados da América Latina, também investiu na gamificação para estimular o time de vendas a conseguir mais pedidos de orçamentos e, depois de três meses de uso da estratégia, o número de pedidos cresceu em 18% e o de novos clientes em 19%.

Outro exemplo é a Samsung, que usou a gamificação como estratégia para fidelização dos clientes finais ao invés do engajamento da equipe interna.

Exemplos não faltam, mas você deve estar se perguntando. Ok, já entendi a efetividade e aplicação, mas qual é o custo para implementar uma estratégia de gamificação?

Quando falamos sobre os custos de ambientes gamificados, tudo é muito variável, uma vez que os valores dependem de acordo com o desejo da empresa. No geral, projetos pequenos e médios podem custar cerca de 5 a 30 mil reais. Para softwares com histórias, narrações, diversos personagens, o valor costuma ser mais alto.

Porém, para jogos mais simples os valores podem ser muito mais acessíveis. Então, para decidir qual é o ideal para a empresa, é preciso ponderar o objetivo final dessa ação. Por vezes, vale mais a pena investir em uma gamificação mais simples com recompensas virtuais e físicas do que desenvolver rebuscados softwares que podem não trazer tanto resultado para o negócio. Tudo depende do perfil do colaborador ou cliente final. 

Apesar de ter um custo consideravelmente alto, quando bem aplicada, a gamificação também pode ser um agente para diminuição de gastos para a empresa, uma vez que, ela pode reduzir as faltas de trabalho, atrair novos clientes, fidelizá-los, entre outros. 

Qual é o futuro da gamificação dentro das empresas?

Para além dos ambientes gamificados em apps, também é possível usar a gamificação em experiências pontuais de realidade aumentada e virtual. Estas são duas tecnologias que proporcionam experiências sensoriais visuais muito ricas e devem impulsionar o design da próxima geração de jogos corporativos.

O cérebro é naturalmente “programado” para desfrutar de jogos, devido às experiências emocionais que eles proporcionam, portanto, experiências como essas que são totalmente imersivas unidas a elementos de design de jogo e de aprendizagem, as tornam um espaço natural para uma estratégia de gamificação que gera resultados.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais