Digitalização de processos industriais da RUDOLPH entra na reta final

A digitalização dos processos industriais na planta da RUDOLPH, de Timbó, fornecedora de soluções em sistemas mecânicos complexos, com forte presença no setor automotivo, entra na fase final.

Um passo rumo à Indústria 4.0, conta com aporte do Programa Finep 2030 Empresarial, voltado a projetos considerados estratégicos no âmbito do programa Rota 2030, da Financiadora de Estudos e Projetos, empresa pública brasileira de fomento.

Conduzido em parceria com a PPI-Multitask, do Grupo WEG, o trabalho começou em janeiro e, ao longo do primeiro semestre, concentrou-se na validação e implementação dos recursos necessários, com investimento em tecnologia de ponta para suportar a aquisição e o processamento de dados em tempo real de mais de 120 máquinas, com produção 24 horas por dia. O projeto envolve investimentos de R$ 3 milhões.

Na etapa mais recente, em julho, a empresa iniciou a instalação das redes de dados, software e infraestrutura para internet que suporta o sinal 5G.

Com isso, segundo o diretor de operações, Zico Rezini, já é possível gerar informações on-line para acompanhamento da produção diária.

Está em andamento, também, a implementação de inteligência artificial para gestão e planejamento da produção, desta vez em parceria com a Fundação Certi, especializada no desenvolvimento e implantação de processos industriais inteligentes.

Até a conclusão do projeto, todo o parque fabril da empresa estará integrado ao sistema, que é compatível com sinal 5G.

“Já contamos com 32 terminais touch screen em uso sem a necessidade de cabeamento. Isso torna o processo flexível e mais clean”, detalha.

Com a incorporação da inteligência artificial, haverá ganhos na gestão de estoques e um melhor planejamento das atividades e rotinas produtivas, assegurando o pleno atendimento das entregas e agilizando a resposta a eventuais gargalos e desvios.

“Vamos ganhar agilidade e competitividade. Nos times envolvidos, percebemos a empolgação pela novidade e a integração do homem com a tecnologia e as soluções 4.0 aplicadas. Em 2023, teremos um processo ainda mais robusto, flexível, e assim será possível ofertar ao mercado produtos com alto nível de competitividade”, conclui.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais