Siga nas redes sociais

Search

Como essa empresa está revolucionando a saúde digital com foco na jornada do paciente

Foto: divulgação.
Foto: divulgação.

A TopMed é considerada a maior referência em telemedicina e telessaúde voltadas à área pública do Brasil. Com sede em Florianópolis, também é a maior do setor na região Sul e figura entre os cinco principais players brasileiros do seu mercado. À frente da organização, está a CEO da empresa, Valda Stange, que comanda um time composto por 86% de mulheres.

Este ano, a TopMed comemora 17 anos de existência. A empresa nasceu com DNA digital, em uma época em que a telemedicina parecia ser uma realidade distante e inacessível para a maioria das pessoas. Visionária, conseguiu unir tecnologia e saúde e rompeu barreiras geográficas e tabus, com dedicação, conhecimento e alta tecnologia.

Somente nos últimos 3 anos, a marca realizou cerca de 5 milhões de atendimentos em suas plataformas, com taxa de 95% de resolutividade. O índice representa um crescimento de 120% em relação ao triênio anterior.

Por meio de plataformas digitais com tecnologia exclusiva, o paciente encontra profissionais de saúde de diferentes áreas e especialidades médicas prontos para prestar um atendimento rápido e assertivo. As soluções contam, por exemplo, com enfermeiros, médicos, psicólogos, nutricionistas, além de uma equipe multidisciplinar composta por assistente social, advogados e economistas.

Para o Economia SC Drops, ela conta os desafios, diferenciais, democratização da saúde e próximos passos. Confira abaixo:

Quais os desafios de estar à frente da TopMed?

Acredito que o principal desafio seja articular estratégia, gestão de pessoas e execução, com sinergia e equilíbrio para manter a empresa saudável, lucrativa e em crescimento constante. Além disso, lidar com os desafios atuais e ao mesmo tempo olhar para o futuro, impulsionando a transformação e o vínculo com ecossistemas que criem valor a fim de viabilizar a sustentabilidade do negócio. Tenho a compreensão de ser uma das principais responsáveis pela tomada de decisões, pelo gerenciamento de recursos, pela comunicação com o operacional e o quanto isso impacta no negócio, em pessoas que estão à minha volta (colaboradores), parceiros, clientes e usuários de nossas soluções.

Quais os diferenciais da marca?

É relevante destacar o fato de a empresa ter tido a visão de saúde digital há 17 anos e coragem de empreender em uma área incerta à época, mas promissora e disruptiva. A TopMed nasceu de um sonho, tornado realidade a partir de ousadia e trabalho duro, o que nos fez ser o que somos hoje: referência em telessaúde e telemedicina no Brasil. Toda nossa experiência faz com que tenhamos consciência de que tudo precisa funcionar bem, todas as áreas precisam estar em sinergia. Conhecimento técnico e em saúde, ética, investimento constante em inovação de jornadas e serviços, tecnologia e atendimento humanizado fazem com que tenhamos altíssimas taxas de resolutividade e de avaliação positiva de nossos usuários e clientes. Este, aliás, é outro importante diferencial: a satisfação e resolutividade por meio de conhecimento aplicado (experiência). A TopMed é uma empresa contemporânea e que está sempre à frente. Detentora de tecnologia própria, sistemas de atendimento, aplicativos, oferece um escopo modulável de soluções. Customizamos desde a identidade gráfica dos projetos até as soluções em si, contemplando a jornada desde o primeiro contato realizado até o completo desfecho do atendimento para atender de forma personalizada anseios e necessidades de diferentes segmentos de clientes e usuários. Aqui, personalização, escalabilidade e resolutividade resumem bem esses pontos.

Como é comandar uma organização que conta majoritariamente com colaboradoras mulheres?

Orgulho que fala? (risos). Sou a quarta filha de uma família predominantemente feminina. Tenho três irmãs e sempre fomos encorajadas a conquistar o nosso espaço. Então chegar à TopMed e me deparar com uma equipe predominantemente feminina é uma satisfação imensa. Enquanto o mundo corporativo busca estratégias para promover mais equidade de gênero, a TopMed vive isso na prática.
Os talentos das mulheres são nítidos. Muitas empresas com destaque no mercado reforçam que as mulheres possuem habilidades que estão quase que sob medida para o perfil esperado de um líder/gestor. As mulheres têm essa disposição de estarem sempre com a atenção voltada para o aprendizado, além de apresentarem as chamadas “softs skills”: resiliência, comprometimento aos detalhes, empatia, cooperação, trabalho em equipe e flexibilidade, além de muita vontade de realizar.
A presença feminina nas empresas, infelizmente, é algo que ainda precisa percorrer um longo caminho para chegar ao ideal. Porém, aqui na TopMed isso é bem diferente. Nosso time é composto por 86% de mulheres preparadas e eficientes que ocupam diversas posições, inclusive cargos de gestão. Valorizamos a diversidade. Para nós, a variedade de olhares é fundamental para a criação de soluções melhores e mais eficientes. Como CEO e mulher, as maiores conquistas são: superar, realizar, vencer, mas acima de tudo inspirar, incentivar e promover desenvolvimento e engajamento de todo o time.

Quais são as principais ações que a TopMed planeja realizar neste ano no âmbito da telemedicina?

Finalmente, temos a oportunidade de falar sobre saúde no Brasil e não somente de indicadores sobre doenças, ou seja, indo além de acompanhar números de pacientes com doenças crônicas, exames, internações, cirurgias etc. A disrupção cultural ocorre quando a tecnologia afeta os limites de nossos hábitos. Internet e smartphone fazem parte de nossa vida. Atualmente a saúde está fora dos hospitais e centros especializados. Está na palma da mão, 24 horas por dia durante os sete dias da semana. Inimaginável isso há 5 anos, não é mesmo? Hoje as pessoas têm na mão a gestão da sua saúde. A TopMed está desenvolvendo novos protocolos, soluções, jornadas e tecnologia para ampliar ainda mais nosso escopo de atendimento e democratização do acesso à saúde. Seja pela amplitude de cobertura, sem barreiras geográficas e regulatórias, pelo aumento do nosso quadro de profissionais ou, então, parcerias que possibilitem ampliar as soluções e conexão com as pessoas. Nossa missão é cuidar das pessoas com qualidade, tecnologia e humanização. Porque a tecnologia é o meio e as pessoas são a nossa razão de ser. A TopMed pretende conhecer cada vez mais os usuários de nossos serviços, compreender os diferentes públicos e suas expectativas de forma a não somente levar atendimento em saúde, mas de fato revolucionarmos como as pessoas se relacionam com a saúde.

Como a telemedicina pode conciliar tecnologia de ponta com atendimento humanizado?

A tecnologia de ponta se reflete em vários momentos da jornada, desde a conexão do usuário para ele ter uma boa experiência até em diversas possibilidades de exames, IoTs, devices, wearables e outros equipamentos que podem auxiliar no atendimento, tratamento e cuidado. Ou seja, tudo o que a tecnologia pode nos oferecer na área da saúde é muito bem-vindo. Já a humanização no atendimento é o grande diferencial em índices de resolutividade, pois o ponto fundamental é manter a pessoa no centro, saber quem estamos atendendo, quais suas necessidades. Todos somos únicos e cada atendimento também. Essa é uma questão em pauta quando se fala em tecnologia de ponta e inteligência artificial. Na TopMed, sempre levamos a pessoa ao centro, antes de qualquer avanço tecnológico. Basta ver nosso robusto time em saúde. Não estamos falando somente dos médicos, da consulta em si, mas desde o agendamento, a identificação e triagem de sintomas, as informações sobre quaisquer dúvidas, tudo isso conta com algoritmos atualizados constantemente. Em nossos atendimentos de videochamada, temos como premissa olhar no olho dos usuários, enxergá-los como seres únicos e que precisam de cuidado integral e não somente pontual para o momento.

Como a telemedicina pode contribuir para democratizar o acesso à saúde?

Todos nós sabemos que a saúde, a educação e a segurança são campos prioritários para a qualidade de vida das pessoas e desenvolvimento de um país, fato que foi ainda mais ressaltado com a pandemia de Covid-19. Porém, a crise sanitária também expôs como a saúde enfrenta um cenário de desigualdades no Brasil. E a telemedicina chegou para transformar isso. A partir do uso da telemedicina, o atendimento médico pode chegar a lugares distantes, o que torna o acesso mais democrático, sem deslocamentos e longas filas de espera. As barreiras geográficas passam a ser superadas. Vale ressaltar que muitos desses deslocamentos são feitos por idosos e/ou pessoas com dificuldades de locomoção e devem ser custeados pelo sistema de saúde pública ou seja, mais uma possibilidade de redução de custos aos cofres públicos, sem falar do custo evitado para o usuário. Os altos custos com a saúde na área privada também seguem a mesma lógica. Atualmente, muitas pessoas precisaram abrir mão de planos de saúde. Mas contar com soluções de telemedicina, como nosso Pronto Atendimento Virtual, sai muito mais barato e coloca o usuário em contato direto com um médico sempre que precisar. Isso ajuda, em muito, no diagnóstico precoce e tratamento de doenças antes que se agravem. Muitas idas às unidades de saúde podem ser reduzidas ou até mesmo evitadas a partir da telemedicina. Em casos de quadros clínicos, muitos pacientes podem ser orientados de maneira remota, com total atenção, ética, segurança e profissionalismo. Dessa forma, é preservado o bem-estar do paciente, que será orientado a comparecer de maneira presencial apenas em casos indispensáveis.

Compartilhe

ECONOMIA SC DROPS

Leia também

Receba notícias no seu e-mail