Siga nas redes sociais

Search

Como esse projeto está mudando a estatística de mulheres na tecnologia

Foto: divulgação.
Foto: divulgação.

No próximo sábado, dia 3 de fevereiro, o Technovation Girls Florianópolis dá início a sua 9ª temporada. O  projeto sem fins lucrativos, voltado para educação tecnológica, busca capacitar meninas em tecnologia, por meio da criação de um aplicativo de celular com base nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Desde 2016, um grupo de pessoas voluntárias organizam e executam ações para viabilizar que alunas de escolas públicas ou bolsistas em escolas particulares da Grande Florianópolis, dos 13 aos 18 anos, consigam participar da competição global Technovation Girls.

O programa, que neste ano vai de fevereiro a abril, já impactou mais de 400 meninas e contou com a participação de mais de 300 mentoras voluntárias na capital catarinense.

Durante as etapas, as participantes aprendem sobre programação, design, empreendedorismo, edição de vídeo, além de contato com a língua inglesa.

O Technovation Girls Florianópolis é desenvolvido com o intuito de mudar a vida de nossas alunas. Contamos com uma rede de pessoas voluntárias para ajudar as meninas que passaram e que estão passando pelo programa, para ingressar no mercado de trabalho como Jovem Aprendiz. Esse é um dos nossos maiores focos, fazer com que essas meninas já tenham um espaço no mercado de trabalho, se tornando independentes e empoderadas, adquirindo experiência para ingressar no mercado de tecnologia”, afirmou a embaixadora do Technovation Girls Florianópolis, Julia Sena.

Entre as soluções já desenvolvidas durante o programa está o Blue Family, um aplicativo criado na 8ª temporada do projeto pelo Team Blue. O objetivo do aplicativo de celular é apoiar a saúde mental de pais e cuidadores de crianças com autismo, por meio de recursos e ferramentas para lidar com os desafios que surgem ao cuidar de crianças autistas, como estresse e ansiedade. O aplicativo oferece acesso a informações, orientações e comunidade de apoio online, além de sessões de terapia virtual para ajudar a melhorar a qualidade de vida dos cuidadores.

Outra solução desenvolvida durante o programa foi o LIBRAS World, um aplicativo criado na 4ª temporada do projeto pelo Time Tech Fairy. O objetivo da ferramenta é promover a inclusão no mundo das Libras. Por meio do aplicativo, os usuários podem desenvolver o aprendizado por meio de vídeos curtos ensinando expressões e até de um game no estilo Duolingo, entre outras funcionalidades.

Compartilhe

Ana Paula Dahlke

Fundadora do Economia SC, 3 vezes TOP 10 Imprensa do Startup Awards e TOP 50 dos + Admirados da Imprensa em Economia, Negócios e Finanças.

Leia também

Receba notícias no seu e-mail