Presença ínfima de marcas brasileiras no exterior não condiz com potencial do país

Já parou pra pensar por que o Brasil possui tão poucas marcas internacionais? Um país de dimensões continentais, com a quinta maior população do mundo, praticamente não tem relevância no cenário das marcas globais. Com algumas poucas exceções de companhias que consolidaram seus nomes mundialmente, o país possui presença ínfima no exterior nesse quesito.

Exportamos muitos produtos para o mundo, somos o 25º maior exportador de mercadorias, é verdade, mas a pauta de exportações do Brasil se concentra em produtos primários, matérias primas, alimentos e minérios. Ou seja, commodities. Produtos que simplesmente não têm marca.

Não ter marca significa não ter valor agregado. Significa que alguém vai pegar esse produto, processá-lo, transformá-lo, empacotá-lo e aplicar nele uma outra marca que agrega valor. E essa acaba sendo a diferença entre os países desenvolvidos e os países em desenvolvimento.

O Brasil precisa reverter essa vocação e aumentar exponencialmente a quantidade de produtos com marca e valor agregado na sua pauta de exportação. É isso que pode trazer mais divisas e desenvolvimento econômico, tecnológico e social.

Uma iniciativa muito interessante, que aponta para esse caminho da internacionalização de marcas brasileiras é o Programa de Qualificação para Exportação (Peiex), criado pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). O objetivo dele é estimular a cultura exportadora e oferecer capacitação para empresas, de todos os portes e segmentos, para poderem competir no mercado internacional, exportando seus produtos e serviços para diversos países do mundo onde as oportunidades se apresentam.

O programa visa introduzir melhorias no gerenciamento, apresentar novas tecnologias, preparar as empresas para a inovação e ampliar o conhecimento e o acesso ao que existe disponível no mercado sobre apoio à internacionalização de marcas. De 2017 a 2021, 5.270 empresas foram qualificadas, sendo 73,17% micro e pequenas empresas. O Peiex está presente nos 26 estados da federação e no Distrito Federal. 

Um bom jeito de começar, mas o Brasil precisa ir além, para dar um salto qualitativo da sua pauta de exportação, saindo da dependência das commodities. É preciso uma ação mais ampla, com estratégias de longo prazo. Para criar marcas brasileiras globais de verdade e levar o nome do país a outro patamar, alcançando todos os cantos do mundo.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais