Black Friday 2022: PIX vai ganhar ainda mais relevância entre os varejistas 

A Black Friday deste ano promete ser melhor que a do ano passado. De acordo com um levantamento da consultoria GfK, 90% declaram que irão comprar na edição deste ano, um aumento de 3 pontos percentuais em relação à edição do ano passado. Só no comércio eletrônico, deve movimentar R$ 6,05 bilhões, segundo estimativa da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), um aumento de 3,5% em relação ao ano passado.

Além da Black Friday, outros eventos, como a Copa do Mundo, por exemplo, também vão aquecer as vendas no varejo. A Confederação Nacional do Comércio (CNC) projeta R$ 1,48 bilhão em vendas no comércio e serviços relacionadas à data. A estimativa é um avanço de 7,9% ante a edição de 2018, sediada na Rússia. Entre os itens que devem ser campeões em vendas estão especialmente televisores, mas haverá forte procura também por alimentos e bebidas, além de artigos de moda esportiva.

Com a expectativa alta, o varejo apostará no PIX como um dos principais meios de pagamento para garantir as vendas. Com uma média mensal de R$ 550 bilhões em volume, o PIX registrou somente no segundo trimestre deste ano 1,8 bilhão de transações, movimentando cerca de R$ 1,1 trilhão. Entre os 110 milhões de cadastrados no Pix, 104 milhões são pessoas físicas e quase 8 milhões são pessoas jurídicas, o que não deixa dúvida de que o meio de pagamento será largamente utilizado na Black Friday. 

Um estudo da Mercado Pago, braço financeiro do Mercado Livre, mostrou que o cartão de crédito ainda é líder para a data, mas o PIX vem ganhando relevância, com um crescimento da intenção de uso em 7 pontos percentuais em relação ao ano passado, de 12% para 19%. Diferente do ano passado, o modo de pagamento não é novidade, as pessoas já se sentem seguras para utilizá-lo e os varejistas estão também mais preparados para oferecer a alternativa. 

Inclusive, alguns comerciantes costumam dar descontos no pagamento via PIX, já que gera menos custos para os varejistas, mais um indicativo de que a modalidade deve crescer. Tanto no comércio eletrônico, como nas lojas físicas, disponibilizar uma boa variedade de formas de pagamento, com opções de cartão, boleto e transferência, é mandatório para garantir bons resultados. Vindos de momento difícil para o setor, com números que ficaram abaixo do esperado no ano passado, ainda impactados pela pandemia, os lojistas devem se atentar a essas questões não só para lucrar, mas para garantir uma boa experiência aos consumidores.

você pode gostar também
Comentários
Carregando...

Este site utiliza cookies para melhorar sua experiência, mas você pode optar por não permitir, se desejar. Entendi Saiba mais