Siga nas redes sociais

Search

PIX: inovação financeira impulsionada pela colaboração

Foto: divulgação.

Desde o seu lançamento, o PIX se tornou um protagonista incontestável no cenário financeiro brasileiro. Sua impressionante marca de 140 milhões de transações em 24 horas no início de agosto deste ano é um reflexo claro da aceitação pelos brasileiros. No entanto, a verdadeira força por trás desse sucesso não reside apenas na sua proposta tecnológica, mas sim na colaboração inovadora entre o Banco Central, grandes empresas e startups do setor financeiro.

A jornada do PIX é uma história de transformação que ilustra o impacto positivo de uma abordagem colaborativa. O diálogo constante entre o Banco Central e diversos players do mercado, tanto os já consolidados quanto os emergentes, tem sido o motor que impulsiona a evolução constante e a adaptação às necessidades reais dos usuários e empresas.

Um aspecto notável dessa colaboração é a inclusão de diversos atores na criação e desenvolvimento de novas funcionalidades. O lançamento do PIX Saque e do PIX Troco, por exemplo, não foi uma imposição do Banco Central, mas sim o resultado de um processo de debate e cocriação com a sociedade e o mercado. Pela primeira vez na história, as empresas têm tido a oportunidade de participar diretamente na construção de lançamentos do BC, o que gera uma sintonia fina entre as necessidades do mercado e as inovações propostas.

Em um evento recente, o Conexão Inovafin, promovido pela CashWay em parceria com a Celcoin, Awtra e Akropoli, tive a oportunidade de discutir essa revolução com outros especialistas do setor. Leo Monte, diretor de inovação da Sinqia, e Maurício Rodrigues, executivo de projetos da Fenasbac, compartilharam suas perspectivas sobre os avanços do sistema e os benefícios trazidos para o contexto financeiro brasileiro. Ficou evidente que essa abordagem colaborativa não só tem acelerado o desenvolvimento do PIX, mas também tem fomentado um ambiente propício para a criação de novos negócios e para o crescimento sustentável do setor.

Além de revolucionar a forma como as transações financeiras são conduzidas, o PIX também trouxe simplificação e agilidade para as operações empresariais. No caso da CashWay, uma techfin que se dedica a soluções end-to-end para atender as demandas de Instituições Financeiras e de Pagamento, o PIX eliminou as complexidades associadas aos modelos tradicionais de pagamento, como boletos, TEDs e cartões de crédito e débito. O processo de coordenação de diferentes janelas de pagamento foi substituído por uma experiência unificada e fluida. Essa simplificação não apenas otimizou as operações internas, mas também impactou positivamente a experiência dos clientes.

À medida que o PIX continua a ganhar tração e atingir novos marcos impressionantes, fica claro que sua história de sucesso não é meramente fruto de avanços tecnológicos, mas sim do diálogo colaborativo que tem sido fomentado entre o Banco Central, empresas estabelecidas e startups inovadoras. Essa abordagem demonstra o potencial transformador da cooperação entre entidades governamentais e privadas, oferecendo um vislumbre do futuro da modernização do sistema financeiro no Brasil.

Portanto, olhando para o futuro, é essencial que essa mentalidade de colaboração continue a guiar o desenvolvimento de novas soluções financeiras. Aproveitar a expertise e a agilidade das startups e o conhecimento consolidado das grandes companhias é o caminho para criar um ecossistema financeiro cada vez mais robusto, inovador e alinhado com as necessidades dinâmicas dos brasileiros e das empresas. O sucesso do PIX é a prova viva de que, quando diferentes vozes se unem em busca de um objetivo comum, o potencial de transformação é ilimitado.

Compartilhe

Vice-presidente de negócios e fundador da CashWay.

Leia também

Receba notícias no seu e-mail